Destaques

Tudo o que você precisa saber antes de contratar um arquiteto

Cerca de 70% da população economicamente ativa do Brasil afirma que gostaria de contratar um arquiteto – a parcela que já teve essa experiência, no entanto, é de apenas 7%. Os números discrepantes são de uma pesquisa do Datafolha a pedido do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e suscitam um debate a respeito da decisão de contar ou não com a
ajuda especializada ao construir ou reformar.

“Na verdade, essa nem deveria ser uma opção, uma vez que é obrigatório ter a assinatura de um profissional para qualquer tipo de obra”, ressalta Miriam Addor, presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA).

Ainda assim, o mito de que contratar um arquiteto é caro faz com que muitas pessoas burlem as normas. Nesse sentido, é preciso não confundir obra econômica – aquela que realmente poupa recursos – com obra barata, que perde em qualidade e implica em gastos com refação.

“Toda construção com planejamento custa menos no fim das contas, pois esse é o melhor instrumento para se prevenir contra imprevistos”, aponta Pedro da Luz Moreira, presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ).

Guia prático

Vale lembrar como é ampla a gama de tarefas que você pode confiar a um arquiteto, começando pela orientação para escolher o imóvel ou terreno.

“É importante que o cliente consiga apresentar suas necessidades e desejos, mas só o arquiteto, que estudou para isso, poderá organizar e propor outras formas de solucionar essas demandas. Por isso, quanto mais cedo ele for contatado, melhor”, afirma Gilberto Belleza.

Cadê a carteirinha? Escolhido o profissional, o primeiro passo é checar se ele possui registro no CAU, o conselho que regulamenta a categoria desde 2011 – antes disso, os arquitetos eram filiados ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). “Não basta ver o número de registro, mas verificar se ele está ativo e regularizado”, orienta Miriam Addor. A conferência pode ser feita no portal da transparência do CAU: transparencia.caubr.gov.br. (Gabriela Graná/Arquitetura e Construção)

Segurança garantida

Por menor que seja, uma obra deve ter um registro de responsabilidade técnica (RRT) feito pelo arquiteto no CAU. Esse documento, imprescindível, é o que garante ao cliente que alguém está assumindo todos os compromissos envolvidos na execução de seu projeto.

Fonte: Arquitetura & Construção

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS

VEJA COMO VOTAR: ELEIÇÕES DO CAU 2023 ACONTECEM NO DIA 10 DE OUTUBRO

CAU/PA empossa os aprovados no Concurso Público 01/2023.

CAU/PA lança o Episódio 2 – Mestre Hélio Veríssimo do projeto Arquitetos do Pará

Pular para o conteúdo